• Blog Spa das Emoções

Gatilhos da Felicidade


Existem dois prismas básicos de encarar a Felicidade. O prisma do Ego e o Prisma do nosso Eu Superior, que gosto de chamar de Presença Eu Sou.

O Ego oferece a Felicidade através de comandos cerebrais ativados por gatilhos externos. Através das nossas experiências, fazemos conexões memoriais que liberaram um cocktail endócrino que chamamos hormônios da felicidade. Por isso que, segundo o Ego, não existe felicidade e sim momentos de felicidade.

Já a nossa Presença Eu Sou encontra a Felicidade na própria Essência através de um contínuo estado de Gratidão. Quando nos permitimos ser orientados pelo Eu Superior percebemos que tudo contribui para o nosso crescimento.

Criamos a nossa realidade através do padrão vibratório que emitimos. Dependendo da emoção em cena, nossa vibração nos leva a encarar tudo ao nosso redor dentro do mesmo padrão. Por isso que dizemos que criamos a nossa realidade. Porque o mundo exterior que vemos e sentimos é um exato espelho do nosso mundo interior.

Assim caminhamos em direção da explicação budista que nos diz que o sofrimento se fundamenta no apego que é a nossa resistência a eterna mutação da vida. Se você diz que não suporta a sua realidade, você está dizendo que não suporta a si mesmo. O caminho da liberdade vive em abraçarmos as nossas sombras entendendo que são informações preciosas. Que motivo melhor para agradecer? Quando aprendemos a agradecer pelas informações que chegam a nossa realidade todos os dias, crescemos. Esse crescimento muda o nosso padrão vibratório enviando uma nova informação as miríades de outras informações que nos cercam. Essas frequências atraem outras iguais, mudando a nossa realidade.

O Universo sempre conspira a nosso favor. Ou melhor, sempre conspira a favor do padrão vibratório que emitimos.

Então, a Felicidade se baseia em aprendermos a acessar os padrões vibracionais que nos impulsionam a crescer. Quando passamos a fase do sofrimento do crescimento que é a resistência ao aprendizado nos apaixonamos pela vida. Agradecemos continuamente porque enxergamos Luz em tudo e em todos. Nos tornamos Amor em Ação.

É muito importante ter em mente que O Ego baseia a sua existência na culpa e a Presença Eu Sou no Perdão.

Como vemos, a questão é sair do julgo do Ego e se permitir ser guiado pelo Eu Superior que nos levará a ter um encontro de amor com a nossa plenitude. Mas para isso precisaremos aprender a lógica do Ego, e então perceber quando e como ele se manifesta em nosso interior.

Imaginem que eu sou um projetor e tenho o meu próprio filme feito de culpa (ferramenta do EGO) que está ligado em tempo integral. Isso significa que eu preencho a minha realidade com a minha própria culpa. Eu projeto a culpa do meu filme nas pessoas e assim vejo os meus erros e culpas em meu mundo com a ilusão de estar livre. A projeção traz a ilusão de liberdade.

O interessante é que essa estratégia do Ego me dá a oportunidade de encontrar a Real Liberdade. Se eu vejo meus erros e culpas projetados em você, sabendo que estou fazendo isso conscientemente, tudo o que preciso é deixar que todo esse peso se vá. O perdão é isso, pura e simplesmente.

Isso significa que devemos ser incondicionalmente gratos por cada pessoa que entra em nossas vidas, especialmente aquelas com as que nós temos mais problemas. Aqueles que mais odiamos, que achamos mais desagradáveis, com os que nós nos sentimos mais desconfortáveis são exatamente aqueles que o Universo nos enviou para mostrar que podemos fazer uma outra escolha em relação àquele em quem antes estávamos tentados a projetar a nossa culpa. A grande chance que temos de perdoar e ficarmos livres é vê-la em uma outra pessoa e lá a perdoarmos. Não que devamos fazer isso para ser livres. O fato é que já fazemos isso o tempo todo.

Isso revoluciona a nossa forma de olhar para o mundo! Tudo se torna informação preciosa e todos se tornam mestres que nos conduzirão a Plenitude inerente a nossa natureza.

Em termos práticos, somos capazes de ver tudo, do momento em que acordamos ao momento em que vamos dormir, como uma oportunidade de nos ajudar a ver que somos livres. Cada vez que nos sentirmos tentados a responder a vida com agressão, devemos parar e lembrar de Raul Seixas que dizia: Tente outra vez. Ou melhor: Escolhe outra vez.

Não há nenhuma diferença entre o que está fora ou o que está dentro. Tudo é uma projeção. Se sentirmos culpa dentro, é isso que vamos projetar fora. Se sentirmos Amor dentro de nós, então é isso que estenderemos ao que está fora. Todas as pessoas e todas as circunstâncias nas nossas vidas nos oferecem a oportunidade de ver o que está dentro das nossas mentes. Elas nos oferecem a oportunidade de fazer uma nova escolha.

Pratique e experiencie a oportunidade de ser livre através do verdadeiro Gatilho da Felicidade, o Perdão.

Ame-se!!!

Celso Costa | Terapeuta Holístico Quântico

13 visualizações1 comentário
  • Youtube La Casita Nazaré
  • Facebook La Casita
  • Instagram La Casita